A ORIENTE
José Maçãs de Carvalho

A quarta edição de Amieira Livros tem por título PARTIR POR TODOS OS DIAS , de José Maçãs de Carvalho. A obra reflete as viagens e longas estadas de José Maçãs de Carvalho no Oriente, e sobretudo na China e Macau - onde leccionou no Instituto de Estudos Europeus.

José Maçãs de Carvalho nasceu em Anadia, em 1960. É Doutorado em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, tem uma post-graduação em Gestão das Artes.

O autor tem uma extensa obra fotográfica e foi nomeado para o prémio BES Photo 2005 (2006, CCB, Lisboa) e para a shortlist do prémio de fotografia Pictet Prix, na Suíça, em 2008. Está representado em várias colecções públicas e privadas. Expõe fotografia desde 1990, video desde os anos 2000. Tem apresentado a sua obra em Portugal e no estrangeiro. Entre 2011 e 2014 realizou quatro exposições individuais em torno do tema da sua tese de doutoramento (arquivo e memória), no CAV, Coimbra; Ateliers Concorde, Lisboa e Colégio das Artes, Coimbra; Galeria VPF, Lisboa e Arquivo Municipal de Fotografia, Lisboa.

AMIEIRA - cada edição pensada como se fosse uma exposição

500x500

partir por todos os dias

O livro, apresentado pelo autor, José Maçãs de Carvalho

“Partir, partir sempre por todos os dias fora mais do que por países” [1]

Gostava de pensar nas imagens deste livro como fazendo parte de uma escrita, densamente metonímica, recolectora de fragmentos, num estado transitório que só a fotografia permite.

São viagens, porque fui de um ponto para outro nos intervalos do quotidiano: falo do final dos anos 90. Outras (anos 2000) foram feitas em trânsito da Europa para a Ásia, como quem regressa a uma outra casa, sem estranheza.

Poderiam ser viagens dentro de casa (...au tour de ma chambre), imagens de um estado mental em errância, mais do que descobertas.

A viagem é sempre um impulso, um gesto para a alteridade e a fotografia pode fazer emergir esse “outro” que há em nós, cumprindo-se nesse estado de suspensão em que nos encontramos quando nos ausentamos do quotidiano.

“Para quê viajar?” é uma questão à qual prefiro contrapor “Por que se viaja?”

José Maçãs de Carvalho

[1] Paulo José Miranda, “A arma do rosto”, Edição Cotovia, 1998

Partir por Todos os Dias
62 páginas, capa dura, PVP 17,00€
depósito legal 375856/14
isbn 978-989-99027-1-8
Distribuição: Jazz-exportação de livros, sa, Rua das
Amoreiras nº72-A - geral.jazz@gmail.com
Impresso na Printer

Partir por Todos os Dias